Lula na Argentina: “Bolsonaro é fascista, e Moro é neofascista”

Em viagem à Argentina, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) atacou “os dois que estão competindo” com ele, o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro (Podemos).


– O PT tem um legado político e econômico extraordinário e de inclusão social no Brasil. Vamos tentar dar à sociedade o que o PT fez de bom no país. Dos dois que competem comigo, o Bolsonaro, como presidente, conta com o uso da máquina governamental, e o próprio Moro, com a ajuda de setores da mídia que fazem o enorme sacrifício para aparecer no noticiário – disse Lula em entrevista ao site argentino Página 12, nesta sexta-feira (10).

O petista disse considerar ambos os candidatos extremistas. Bolsonaro seria um “fascista”; Moro, um “neofascista”.

– São dois personagens muito comprometidos com a extrema direita, e, no caso do Moro, ele é um personagem perigoso. Quando era juiz, se atreveu a mentir em um processo para me condenar e me levar para a prisão e, assim, me impedir de ser eleito presidente em 2018. Quantas mentiras ele pode contar aos brasileiros? Então, eu diria que são dois extremistas. O Bolsonaro é um fascista, e o Moro é um neofascista. Os dois vão tentar mentir para a sociedade o tempo todo – afirmou Lula.

Muito seguro de ocupar uma vaga no segundo turno das eleições de 2022, o cenário pintado por Lula é o de que Moro e Bolsonaro irão “lutar entre si para ver quem vai para o segundo round com o PT”.

– Não sei se é percebido na Argentina, mas aqui sou a pessoa mais censurada do planeta Terra. Qualquer candidato… que tem 1% nas pesquisas, aparece mais na televisão do que Lula, que tem 46% ou 47% dos votos – disse.