Tribunal condena coronel por propina na importação de fuzil

O Superior Tribunal Militar condenou o coronel do Exercito da reserva Paulo Roberto Saback de Macedo a seis anos e oito meses de prisão por receber propina de R$ 40 mil na importação de um fuzil .50, informa o Estadão.

O empresário Rafael Thales de Freitas, acusado pelo pagamento da propina, também foi condenado a seis anos de reclusão.

Segundo a denúncia do Ministério Público Militar, em fevereiro de 2012, Freitas deu entrada com requerimento de importação de um fuzil Barrett, semiautomático, calibre .50, na Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados.

O empresário teria combinado com Paulo Macedo o pagamento de R$ 40 mil, em duas parcelas de R$ 20 mil cada, para que o coronel autorizasse a importação do fuzil, de uso restrito das Forças Armadas.

Ambos os acusados haviam sido absolvidos por Conselho Especial de Justiça, mas o STM, por unanimidade, reverteu a decisão. A ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, relatora do caso, destacou que o coronel “possuía vasta experiência e chefiava a Seção de Controle de Aquisições de Produtos Controlados, setor responsável pelo aferir de pedidos de armamentos e munições […] Alegar desconhecê-los não é plausível.”

O PGR DE BOLSONARO: FESTA PARA PETISTAS ENROLADOS NA JUSTIÇA E SOCIEDADE EM BANCA DE ADVOCACIA
você pode gostar também