Representantes de Gustavo Scarpa quebram o silêncio e revelam pontos que desagradaram

Representantes de Gustavo Scarpa quebram o silêncio e revelam pontos que desagradaram

A novela que envolve o meia Gustavo Scarpa, do Fluminense, se arrasta desde o fim de 2017. O jogador tricolor foi alvo de times como Palmeiras, Corinthians e São Paulo. Nesta sexta-feira (5 de

Leia tudo

A novela que envolve o meia Gustavo Scarpa, do Fluminense, se arrasta desde o fim de 2017. O jogador tricolor foi alvo de times como Palmeiras, Corinthians e São Paulo. Nesta sexta-feira (5 de janeiro), Paulo Vinícius Coelho, comentarista dos canais FOX Sports, revelou em seu blog no site UOL que Scarpa teria se recusado ir ao alviverde paulista em troca de três nomes do elenco palmeirense. Mais tarde, PVC publicou novamente no blog os motivos que, segundo os representantes do jogador, levaram a relação entre Fluminense e Scarpa se desgastar e que o meia provavelmente irá conceder uma entrevista coletiva na próxima semana para explicar as ausências nos treinos de início de ano do Fluminense.


Alguns dos pontos abordados pelos empresários do meia tricolor foram acordos não cumpridos por Pedro Abad, presidente do Fluminense, e sua diretoria. Clube e jogador teriam acertado renovação ainda no final do mandato de Peter Siemsem, antecessor de Abad, com a promessa de que o acordo seria cumprido mesmo com a mudança na presidência.

Após assumir o clube carioca, Pedro Abad não teria cumprido o acordo anterior e chamado Gustavo Scarpa para negociar uma nova renovação, com valores abaixo do acordo anterior. A alegação do presidente é que o clube não teria como manter um contrato daquele porte. Ainda segundo os representantes do meia, Scarpa aceitou a renovação mesmo com as mudanças. Mesmo com a redução aceita pelo meia, atrasos de salários e compromissos assumidos pela diretoria tricolor não foram cumpridos, fatores que não agradaram a Scarpa.

Em dezembro de 2017, representantes do jogador encaminharam uma proposta do Palmeiras de £ 6 milhões (R$ 23 milhões) pela compra de 40% do passe do meia. Mesmo com sondagens e propostas dos times paulistas, Scarpa alega que não teve ligações atendidas e nem foi questionado por qual proposta mais o agradava.

O contato se deu apenas quando o clube carioca comunicou que havia acertado uma troca com o Palmeiras por Hyoran, Roger Guedes e Luan ou Juninho. O tempo de contrato de Scarpa com os paulistas seria de apenas um ano, fato que não foi bem aceito pelo meia tricolor. Representantes do jogador entenderam que seria pouco tempo, uma vez que não saberiam o que aconteceria após este período.

Crédito da foto: Marcelo Cortes/Fotoarena