Queiroz demitiu ex-mulher de miliciano para blindar Flávio Bolsonaro

Fabrício Queiroz demitiu ex-mulher de miliciano que trabalhava para Flávio Bolsonaro para evitar uma vinculação entre o gabinete do filho do presidente e o criminoso, informa o Globo.

A investigação do Ministério Público do Rio mostra que, no dia em que se tornou público que Queiroz era alvo de investigação por movimentações milionárias, em 6 de dezembro de 2018, o ex-assessor comunicou por WhatsApp a Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, ex-mulher de Adriano Magalhães da Nóbrega, o “Capitão Adriano”, que ela teria sido exonerada do gabinete de Flávio.

Pelo aplicativo, Queiroz ainda pediu que Danielle evitasse usar o sobrenome do miliciano. Ela perguntou ao ex-assessor se poderia receber algum tipo de ajuda financeira enquanto estivesse demitida, mas Queiroz a orientou a não tratar desse assunto por telefone.

As conversas foram encontradas pelo Ministério Público no celular de Danielle. O aparelho foi apreendido durante a Operação “Os Intocáveis”, em 22 de janeiro.

 

EXCLUSIVO — TOFFOLI: A DECISÃO… E A COINCIDÊNCIA
você pode gostar também