Petrobras investirá US$ 54 bi em projetos no Rio nos próximos 5 anos

A Petrobras vai investir nos próximos cinco anos US$ 54 bilhões em projetos no estado do Rio de Janeiro. A informação foi dada nesta sexta-feira (09/08/2019) pelo presidente da companhia, Roberto Castello Branco, durante almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

“Nosso foco no estado do Rio de Janeiro é exploração e produção de petróleo e gás, o que não inclui distribuição de gás e transporte. Possivelmente, usinas termoelétricas movidas a gás. Este é o foco da companhia. O foco da companhia não é industrial. Nós somos uma companhia de petróleo”, disse.

“A Petrobras está investindo US$ 54 bilhões – ninguém liga, ninguém presta atenção e fica até nos cobrando. Se chegar aqui uma fábrica de automóveis e resolver investir R$ 500 milhões, vai ser recebida com festa, pompa e fanfarra. Ninguém liga para os bilhões de dólares que estamos investindo”, acrescentou Castello Branco.

Ele explicou que a Petrobras é uma empresa do Rio de Janeiro, mas, como vai intensificar o foco nas atividades de exploração e produção de petróleo e gás, até 2022, as suas operações e as suas refinarias, além desse estado, ficarão concentradas em São Paulo e no Espírito Santo. “Vão ficar nesses três estados”, afirmou.

De acordo com Castello Branco, o Rio de Janeiro vai se beneficiar com a arrecadação obtida com a produção de petróleo.

Pré-sal
Em 2018, a companhia pagou cerca de R$ 17 bilhões de impostos, e a tendência é crescente, com tributos gerados não só com as atividades da Petrobras, mas também de outras empresas que estão investindo no pré-sal.

“Eu falei, há alguns meses, para o governador [Wilson] Witzel que ele vai ser um xeique do petróleo, porque o Rio de Janeiro vai ser o terceiro maior produtor de petróleo das Américas. Em 2022, 2023, o Rio de Janeiro só vai perder dos Estados Unidos e do Canadá”, afirmou Castello Branco.

Ele reconheceu que há um declínio acelerado na produção dos campos do pós-sal, mas explicou que isso ocorre por causa do envelhecimento do depósito mineral: “Assim como as pessoas, o depósito mineral envelhece”.

Bacia de Campos
O presidente da Petrobras informou que, do total de US$ 54 bilhões que a empresa investirá, cerca de US$ 20 bilhões serão aplicados na Bacia de Campos, por meio da compra de blocos exploratórios e parcerias com especialistas em recuperação de campos, para estabilizar o declínio.

“Não podemos querer de um homem de 90 anos o mesmo vigor de um de 20 anos. O de 20 anos é o pré-sal, aí é que está o crescimento significativo. A Bacia de Campos é uma senhora já idosa, e nós esperamos que ela estabilize e fique em boa saúde, mas não podemos colocá-la para correr a maratona.”