Os dois porteiros

Lauro Jardim noticia que a Polícia Civil do Rio de Janeiro sabe que o porteiro que prestou depoimento no âmbito das investigações sobre o caso Marielle Franco e anotou no livro o número 58 (o da casa de Jair Bolsonaro) não é o mesmo que fala com o PM reformado Ronnie Lessa (dono da casa 65) no áudio divulgado por Carlos Bolsonaro e periciado em duas horas pelo Ministério Público.

“O porteiro que prestou os dois depoimentos em outubro — e disse ter ouvido o o.k. do ‘seu Jair’ quando Élcio Queiroz quis entrar no condomínio — ainda está de férias.”

Nas próximas 2 ou 3 semanas, algumas questões realmente importantes — e que provocam paixões — devem chegar a seu ápice e, talvez, a um desfecho. SAIBA MAIS AQUI