O bom início de Marcos Rocha no Palmeiras

O bom início de Marcos Rocha no Palmeiras

A cidade de Sete Lagoas, em Minas Gerais, começou 2018 um pouco mais palmeirense. Pelo menos na família Rocha, a camisa verde virou um traje comum. Principalmente a com o número 22, que leva o nome

Leia tudo

A cidade de Sete Lagoas, em Minas Gerais, começou 2018 um pouco mais palmeirense. Pelo menos na família Rocha, a camisa verde virou um traje comum. Principalmente a com o número 22, que leva o nome de Marcos Rocha, titular do time comandado por Roger Machado no clássico contra o Santos, no próximo domingo, às 17h (de Brasília), na arena alviverde.
Com quase um mês de clube e cidade novos, Marcos Rocha tem recebido apoio da família. Na estreia do Paulistão, por exemplo, uma torcida uniformizada especial para o atleta esteve presente na arena para acompanhar a vitória sobre o Santo André.
Minha família, minha vida !!! Obrigado pela presença de vocês 💚🙏🏽🐷⚽️ #AvantiPalestra #SeteLagoas/SãoPaulo
– Eles estão felizes com a minha vinda para o Palmeiras. Naquele primeiro jogo tentei trazer o máximo de amigos e familiares. Pai, mãe, irmão, cunhada, minha esposa... Todo mundo veio. Corri na loja do Palmeiras, comprei camisa, mandei colocar meu número e meu nome... Todos ficaram entusiasmados para conhecer o novo estádio, a maneira que a torcida do Palmeiras contagia os jogadores. Estou bastante feliz – contou o atleta.

E tem espaço para todo perfil de torcedor na casa de Marcos Rocha. Desde os conselhos e orientações do pai Silas e do irmão Matheus, até o sofrimento da Dona Doca, mãe do lateral.

– Meu pai e meu irmão são metidos a jogador, então eles observam e me cobram bastante (risos). Ouço para que eu possa melhorar dentro de campo. É a corneta saudável, porque eles querem que eu possa mostrar minha qualidade. A minha mãe fica sofrendo, porque ela acha que todo mundo quer brigar e xingar (risos). Tem alguns amigos que entendem mais e outros entendem menos, mas por eu estar jogando querem estar presentes – disse o jogador, que já está com a agenda cheia para receber todos na nova casa.

– A escala está grande para receber visitas. No carnaval vou ter de fazer uma lista de compras maior porque vou ter convidados chegando para me acompanhar no Palmeiras e também viver um pouco de São Paulo – completou.

Marcos Rocha foi titular em três das quatro rodadas do Campeonato Paulista. Em duas semanas, foram quatro vitórias e um início de trabalho promissor do técnico Roger Machado, com quem já trabalhou e conquistou o Campeonato Mineiro no ano passado, no Atlético-MG.

– A adaptação está sendo boa, os resultados dentro de campo e o trabalho do Roger estão facilitando também. Os jogadores me receberam muito bem. Fico bastante feliz, me sinto bastante à vontade. Fico feliz quando o torcedor vai e lota o estádio, apoia do começo ao fim. Sabemos que o custo do ingresso acaba sendo desproporcional para algumas pessoas, mas que acabam fazendo um esforço para acompanhar o time. Agradecemos esse carinho pelo nosso clube.

Após vencer Santo André, Botafogo, RB Brasil e Bragantino, o Palmeiras se prepara para o primeiro clássico da temporada. O duelo contra o Santos será no próximo domingo, às 17h, com expectativa de arena lotada – o Verdão já vendeu 34 mil ingressos.

Além de manter o aproveitamento de 100% e, consequentemente, a liderança do Grupo C do Paulistão, o palmeirenses buscam a vitória para dar mais confiança ao time e aos torcedores, no primeiro clássico da temporada.

– O torcedor não quer saber do tamanho do resultado, se é de goleada ou de 1 a 0. Ele quer saber da vitória (no clássico) para zoar o amigo, o colega no Twitter ou no Instagram. Mas nós jogadores temos de ter uma responsabilidade grande para não contagiar e empolgar a equipe adversária. Respeitamos muito o Santos e sabemos que vai ser difícil – afirmou o lateral-direito.

 - Fonte: Globo Esporte