“Não temos poder de investigação”, diz procuradora-geral do MP junto ao TCU

A procuradora-geral do MP junto ao TCU, Cristina Machado, em sessão do TCU que debate a suspensão da propaganda do pacote anticrime, diz que, muitas vezes, os subprocuradores apresentam representações “sem os elementos necessários.”

“Nós não temos poder de investigação, de diligências. É muito difícil colher elementos, por isso muitas vezes nos valemos de notícias veiculadas na imprensa.”

Ela defende, portanto, a representação do colega Lucas Furtado.

“No mérito, essa é uma questão de juízo de valor.”

“Se em outros momentos não houve questionamentos quanto a outras campanhas, isso não justifica a gente agora deixar de atuar. É uma boa hora para a gente começar, sim. É dinheiro público envolvido”, acrescenta a procuradora-geral.

EXCLUSIVO: A DELAÇÃO COMPLETA DE PALOCCI. Saiba mais