Manifestantes protestam contra Bolsonaro

As manifestações em defesa do impeachment do presidente Jair Bolsonaro aconteceram neste sábado, 3, em Recife, ao lado de outras capitais nordestinas como Teresina, Maceió e São Luís. Segundo os organizadores, pelo menos 261 cidades do Brasil e do exterior registraram registrar protestos contra o presidente. Os eventos deste sábado foram chamados 3JForaBolsonaro.

Nos últimos dois meses, esta é a terceira manifestação antigovernamental, com eventos em centenas de cidades em todo o país; a primeira foi em 29 de maio e a segunda em 19 de junho. Além do impeachment, os manifestantes exigem a retomada do socorro emergencial de R $ 600 e a vacinação em massa da população. Este é o primeiro ato após a moção unificada de impeachment protocolada na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 30.

Algumas de pessoas participam do ato em Recife. Os movimentos sociais e a militância de esquerda marcam uma presença expressiva, na maioria dos chamados de fora, Bolsonaro e genocídio, bem como ruído de tambor. A maioria das pessoas vestiu vermelho.

Em comparação com os dois protestos anteriores na capital Pernambuco, há mais cartazes pedindo explicitamente a demissão do presidente. Existem outros também liderando os crimes de abuso de poder, corrupção e CPI pela Covid.

Oposição política ao governo Bolsonaro, como o senador Humberto Costa (PT) – integrante do CPI – está presente na cerimônia. Às vezes, os manifestantes entoam oi-olá, Lula, Lula, em referência ao ex-presidente do PT.

Em São Paulo, o ato se iniciou às 15h. A concentração foi em frente ao Masp, na Avenida Paulista. A Secretaria de Estado de Segurança Pública vai reforçar o programa policial com cerca de 600 policiais.

Em Brasília, a manifestação começou às 16h. em frente ao Museu Nacional.

As ações deste sábado serão realizadas por movimentos sociais como MST, MTST, Frente do Povo Sem Medo, Brasil Popular, Coalizão Negra pelos Direitos, União Nacional dos Estudantes (UNE), Central de Movimentos Populares (CMP) e Uneafro Brasil. Partidos como PT, PSOL e PCdoB apóiam as manifestações.