Lula prefere enfrentar Ciro em vez de Bolsonaro

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse acreditar na derrota do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022. Lula comentou possível segundo turno com Ciro: “Extraordinário para o Brasil! Bolsonaro será derrotado pelo povo brasileiro, que o tirará do poder porque queremos paz, queremos descanso, queremos trabalhar, queremos bons salários, queremos cultura, queremos esporte, queremos tomar café de novo, sempre com a família estar, estar junto, sem preocupações como a que vemos hoje ”, explicou.

Lula também intensificou as críticas à postura do presidente sobre a Covid-19, reiterando que ele foi responsável por pelo menos metade das mortes desde o início da pandemia. Estamos discutindo esse assunto no Brasil desde 12 de março do ano passado.

Temos 516.000 mortes pela pandemia de coronavírus e 18 bilhões de casos. Isso poderia ter sido evitado se nosso governo tivesse agido como um governo. Em outras palavras, em uma crise como essa, a função do governo é formar um comitê de crise. Isso não aconteceu, disse o ex-presidente.

“O Brasil teve a oportunidade de comprar vacinas. De início, a Organização Mundial da Saúde ofereceu 70 milhões de doses e o Brasil não quis comprá-las. Agora memso existe uma denúncia de corrupção na compra de vacinas que está em uma Comissão Parlamentar. Vamos ver quais serão os resultados. Existem denúncias aqui no Brasil de que pessoas ligadas ao Ministério da Saúde do governo cobraram um dólar por vacina.

O fato é que o governo não cuidou da questão do coronavírus, principalmente quando não acreditou no vírus, o negou. Disseram que era um resfriado, que não faria nada”, continuou Lula. Segundo turno e impeachment. Em entrevista ao jornal O Liberal do Pará na tarde de ontem, Lula também comentou sobre suas expectativas para as eleições presidenciais de 2022 e um possível impeachment de Jair Bolsonaro.

O ex-presidente disse que uma possível disputa entre ele e Ciro Gomes (PDT) no segundo turno da eleição presidencial de 2022. Seria extraordinário para o Brasil ter o Ciro e eu no segundo turno, entendeu? Acho que seria uma vitória de uma grande democracia, assim como a democracia venceu quando discuti com o Fernando Henrique (Cardoso), com o Serra, com o Alckmin, o Lula respondeu à pergunta sobre a ideia.

Quem atrapalhou foi o Aécio na campanha contra Dilma e depois algumas áreas de comunicação que decidiram destruir a democracia negando a política, mas se o Ciro for para o segundo turno será uma vitória sendo pela democracia, só acho que nós nunca pode ter um fascista na presidência deste país novamente que temos que consolidar o processo democrático brasileiro, continuou o político, que também afirmou não levar para o lado pessoal as críticas de Ciro.

Na mesma entrevista, Lula argumentou que o presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL) levantou os pedidos de impeachment contra o Bolsonaro e deixou claro que, mesmo que fossem rejeitados, seriam importantes para o país. Digo explicitamente que o Bolsonaro deve ser tratado como genocida, porque nunca vi ninguém tratar a humanidade de forma tão desrespeitosa, nunca vi ninguém tratar seu povo com tanto desrespeito quanto o tem sido desde que ele assumiu o cargo e depois que a pandemia começou.

Então eu acho que essa moção de impeachment é uma moção mais robusta porque afeta muitas pessoas na sociedade. (…) Não é que o impeachment do presidente seja aprovado, não deve ser aprovado, o Trump tinha um pedido de impeachment que não foi aprovado, ou seja, o grave aqui é que o impeachment do Bolsonaro não está sendo discutido vai precisar de todos os crimes que cometeu.