Lei Rouanet  liberou quase um milhão de reais para Parada do Orgulho LGBT e Show de Encerramento

Lei Rouanet liberou quase um milhão de reais para Parada do Orgulho LGBT e Show de Encerramento

O projeto objetiva promover a Cultura LBGT, suas especificidades e transversalidades sociais. IMPACTO: Fazer com que a Cultura LGBT deixe de ser cultura de nicho e passe a ser cultura de grande

Leia tudo

O projeto objetiva promover a Cultura LBGT, suas especificidades e transversalidades sociais.

Segundos os organizadores do projeto o projeto milionário bancado pela Lei Rouanet visa Promover a Cultura LBGT e transversalidades, fazer com que a Cultura LGBT deixe de ser cultura de nicho e passe a ser cultura de grande penetração popular e consumo social; mensurando seus artistas e público, favorecendo a inclusão dos mesmos nos mercados culturais, trabalhistas e sociais nos âmbitos municipal, estadual e nacional e contribuir para que a Cultura LGBT possa ser desmistificada, apreciada e consumida pelo maior numero possível de pessoas.

A Lei possibilitou que a Turnê Luan Santana( Nosso Tempo É Hoje Parte II " fosse paga com dinheiro público com a somatória de R$ 4,1 MILHÕES com a justificativa de “promover acesso a entretenimento musical de qualidade”, “difundir as raízes sertanejas enquanto manifestação cultural e artística a partir da música romântica”, “democratizar a cultura” e “gerar um ambiente diferenciado com atmosfera especial para o público”, o Ministério da Cultura aprovou em 2014 o incentivo de R$ 4,1 milhões para a realização da turnê “Nosso Tempo É Hoje Parte II”, de Luan Santana.O sertanejo, que costuma receber o cachê de R$ 300 mil por apresentação, fez cerca de 15 shows em Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Londrina, Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e São Paulo com o apoio da Lei Rouanet.

Mais um milhão de reais foi liberado pela mesma lei, para Tico Santa Cruz, a banda Detonautas também já buscou apoio na Lei Rouanet. Em 2013, o Ministério da Cultura aprovou a verba de R$ 1.086.214,40 para incentivar a realização de uma turnê em 25 cidades brasileiras. Apesar da aprovação do governo, nenhuma empresa demonstrou interesse em captar tamanha quantia a uma banda .

Em outra oportunidade mais de meio milhão de reais foi liberado para o MC Guimê, famoso pelo funk ostentação, foi autorizado a captar R$ 516 mil para a produção de um DVD ao vivo em 2015. O projeto tinha como o objetivo produzir três mil discos, dos quais 80% seriam vendidos pelo preço de R$ 29. Da apresentação musical, 40% dos ingressos seriam distribuídos gratuitamente e 40% vendidos pelo preço de R$ 50. O restante deveria ser dividido entre os patrocinadores e a população de baixa renda.

Há muitos outros casos revoltantes, onde fora liberado em torno de 6 milhões de reais para o show da Cláudia Leite dentre outros artistas de qualidade duvidosa; tal lei sem dúvida imprime o que há de mais abominável e execrável dentre os absurdos cometidos no Brasil. Em uma nação onde pessoas ficam nas filas de hospitais, não é admissível que gastem bilhões dos cofres públicos em projetos tão absolutamente fúteis.