Jóias, diamantes e barras de ouro de Cabral vão à leilão

Um pedaço da fortuna do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral irá à leilão na próxima quarta-feira, 29, promovido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Entre os itens, estão jóias, diamantes de altíssimo quilate e cinco barras de ouro, apreendidos em operações realizadas nos últimos anos que minaram a quadrilha de Cabral. Os lances iniciais variam de R$ 52 a quase R$ 250 mil. Os recursos arrecadados com esse leilão serão destinados ao Fundo Nacional Anti-Drogas. Outras apreensões, feitas em operações ao longo dos últimos anos, também vão ir à leilão neste ano de 2020. A expectativa é arrecadar mais de R$ 200 milhões.

Cabral está preso desde novembro de 2016 no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, quando foi detido pela Polícia Federal na Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato no Rio. Em meio à pandemia, Sérgio Cabral pediu a transferência para a prisão domiciliar, o que foi negado por todos os ministros da Sexta Turma. Para o relator do caso, Rogerio Schietti, o complexo penitenciário de Cabral não é foco de contágio de Covid-19.

O ex-chefe do Palácio Guanabara foi condenado pela 13ª Vara Federal de Curitiba, pelo então juiz Sergio Moro, a 14 anos e 2 meses de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. Segundo investigações, ele recebia propina da empreiteira Andrade Gutierrez para garantir a celebração do contrato de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. A condenação foi confirmada em segunda instância em maio de 2018. A soma das penas contra ele já chega a 282 anos de prisão.

* Com informações do repórter Rodrigo Viga