Grupo que proporá mais mudanças trabalhista conta com oito magistrados

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, fez valer a sua autoridade e autorizou, a pedido de Rogério Marinho, a participação de oito magistrados no Grupo de Altos Estudos do Trabalho, constituído pelo governo para propor mais mudanças na leis trabalhistas — e, assim, continuar a reforma modernizadora iniciada na gestão de Michel Temer.

Uma das mudanças deve ser o fim da unicidade sindical, que ajuda a conferir poder desmedido a centrais sindicais dominadas por partidos políticos.

A equipe que tratará especificamente do Direito do Trabalho será coordenado pelo ministro Ives Gandra Filho, do TST, secundado pela juíza Ana Luiza Fischer, da Justiça do Trabalho de Minas Gerais. Eles evitarão que haja brechas constitucionais nas mudanças.

O grupo será instalado nesta sexta-feira, em São Paulo.

Os sindicalistas de toga estão irritados, como não poderia deixar de ser, e os mais afoitos até querem peitar Dias Toffoli no CNJ.

 

ODEBRECHT: VINGANÇA EM FAMÍLIA E NOVAS REVELAÇÕES PARA A LAVA JATO. CONFIRA
você pode gostar também