Gilmar: “Presunção de inocência não pode ser esvaziada pela legislação”

No Twitter, Gilmar Mendes voltou a defender a prisão após esgotamento de todos os recursos na Justiça.

“A presunção de inocência não pode ser esvaziada pela legislação. Reformas para dinamizar o processo são oportunas, como a diminuição dos recursos, o adensamento das hipóteses de prisão preventiva e a regulamentação da prescrição. As mudanças devem efetivar a CF; não subvertê-la”, disse.

Como registramos nesta semana, há três propostas em tramitação no Congresso que poderiam resgatar o entendimento anterior, que permitia a prisão após condenação em segunda instância.

Leia aqui:

O QUE O CONGRESSO PODE FAZER

As consequências para o Brasil da decisão do STF de sepultar a prisão de condenados como Lula. LEIA AQUI