Gilmar é republicano

Gilmar Mendes, no Roda Viva, repetiu que “não se combate o crime cometendo crime”, ao mesmo tempo em que elogiou o papel dos criminosos que roubaram as mensagens da Lava Jato:

“Todos nós devemos encorajar o combate à corrupção. Mas tenho dito também que não se combate o crime cometendo crime. Se não houvesse o Intercept, muito provavelmente teríamos pessoas vendendo operações. Fazendo coisas que estavam fazendo, como por exemplo, fazendo pessoas comprarem palestras. Tudo isso não é republicano. Também essa mistura entre juiz e promotor, que foi revelado, não tem nada a ver com nosso sistema. Então precisamos corrigir isso, prosseguir no trabalho contra a corrupção, mas dentro de um quadro de normalidade, institucional, menos personalistas”.

Um quadro de normalidade, institucional, foi aquele que vigorou até o surgimento da Lava Jato.