Funcionários de loja do Burger King pedem demissão em massa

Todos os funcionários de uma unidade da rede Burger King, com sede em Lincoln, Nebraska, nos Estados Unidos, resolveram deixar a empresa e divulgar o fato aos clientes de forma não discreta: em uma frase que aparece no grande letreiro com o logotipo da rede que está em frente à loja. O inusitado evento ocorreu nesta terça-feira (13).

Segundo funcionários da agência, a decisão foi motivada pelas precárias condições de trabalho no local. Em entrevista ao site norte-americano Today, a gerente geral da unidade Rachel Flores disse que ela e seis outros funcionários pediram demissão no final de junho.

Flores também disse que começou a trabalhar no refeitório em agosto de 2020, após perder seu antigo emprego em meio à crise pandêmica do coronavírus. Ela disse que já trabalhou na rede de fast food, mas ficou negativamente surpresa com o comportamento da gerência da loja Lincoln.

Segundo o funcionário, havia uma sobrecarga de trabalho porque a equipe era reduzida à metade todos os dias. Era assim que duas ou três pessoas trabalhavam quando o ideal era entre cinco e sete. Flores apontou outras condições precárias de trabalho, como a falta de ar condicionado na cozinha, que causou enjôo em muitos funcionários.

Saímos porque a direção estava brincando e não ligava para mim ou meus colegas de trabalho – escreveu Rachel Flores em sua página pessoal em uma rede social.

Em nota, um porta-voz da rede Burguer King disse estar ciente da situação e disse ter percebido que a loja não age de acordo com os valores da marca. Além disso, de acordo com o porta-voz da rede, o franqueado foi notificado para analisar a situação e garantir que isso não aconteça novamente no futuro.

EMPRESA SE ENVOLVE EM POLÊMICA NO BRASIL


A rede Burger King se envolveu em uma polêmica no Brasil no fim de junho, após a divulgação de uma propaganda em que usa crianças para “ensinar” aos adultos o que é a comunidade LGBTQIA+. O fato causou revolta nas redes sociais e gerou uma série de críticas ao conteúdo.

O mote da campanha era a pergunta: “Não sabe explicar o que é LGBTQIA+ para as crianças? Aprenda com eles”. Em seguida, a peça publicitária colocava crianças ao lado dos pais “explicando” a eles o que significa a sigla e o que elas acham sobre as pessoas que pertencem a esta comunidade.