Especialista afirma que exército de seguidores poderá colocar Bolsonaro no Planalto em 2019

Especialista afirma que exército de seguidores poderá colocar Bolsonaro no Planalto em 2019

Agora que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado criminalmente em segunda instância e pode ser barrado da disputa presidencial de 2018 pela Lei da Ficha Limpa, o deputado federal

Leia tudo

Jamil Marques, professor do departamento de ciência
política da Universidade Federal do Paraná (UFPR), também considera a falta de
capilaridade nacional do PSL um problema para Bolsonaro, mas acredita que o
fato de o candidato ter uma militância mais engajada pode compensar em parte
essa deficiência

."A militância mais apaixonada tem uma papel fundamental,
mas não sei se consegue suprir por completo a falta de capilaridade da
campanha, porque sua atuação tende a ser menos organizada que a dos
partidos", pondera.



O deputado tem viajado pelo país e comumente é
recebido por grupos de simpatizantes entusiasmados em atos gravados em vídeo e
posteriormente postados nas redes sociais, alavancando o impacto do apoio.A
página do deputado no Facebook na quarta-feira, por exemplo, anunciava a
chegada de Bolsonaro e um de seus filhos, que também é deputado, a Cascavel, no
Paraná.Chegada ao aeroporto às 15h30, anuncia o post compartilhado por mais de 10 mil pessoas.

 

 

"Tenho certeza de que todo o oeste
paraense o receberá de braços abertos!!!", diz uma internauta.


 

 "Moro
na cidade do Crato, Ceará. Gostaria muito de conhecer de perto e se for
possível, fazer uma selfie com meu presidente Jair Messias Bolsonaro",
escreve outro.

"E quando vem a Altamira, Pará?", pergunta uma
terceira, mostrando a capilaridade regional que o pré-candidato tem conseguido
alcançar.