“Em 2022, a esquerda de que Bolsonaro tem tanto medo vai derrotar a ultradireita”