Eduardo Bolsonaro rebate crítica por apoio à reeleição de Trump

Ainda de acordo com o filho do presidente Jair Bolsonaro, tudo o que acontece nos Estados Unidos acaba repercutindo no mundo

Depois de ter sido criticado por políticos norte-americanos, após ter declarado apoio à reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o deputado Eduardo Bolsonaro voltou às redes sociais para defender o que ele chamou de liberdade de expressão. O filho do presidente questionou se o problema é ele opinar sobre as as eleições norte-americanas ou sair em defesa de Trump. E afirmou que tem o direito de ter convicções pessoais e se manifestar sobre elas.

O deputado lembrou ainda que as relações entre o Brasil e os Estados Unidos estão acima das pessoas e independentemente do vitorioso nas eleições, o governo brasileiro vai trabalhar para manter essa boa relação. Sobre as afirmações do presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Eliot Enguel, que pediu que a família Bolsonaro se mantenha afastada da eleição norte-americana, o deputado brasileiro afirmou que a sorte do colega norte-americano e que ele não é de esquerda, senão o post no Twitter seria reduzido ao insulto de xenofóbico.

Ainda de acordo com o filho do presidente Jair Bolsonaro, tudo o que acontece nos Estados Unidos acaba repercutindo no mundo e é inaceitável que se cobre dele uma posição de neutralidade, que poderia ser vista como omissão uma vez que o ex-presidente Lula, e os demais presidentes de esquerda Hugo Chavez, Nicolas Maduro, Evo Morales, Cristina kircher, Michele Bachelet e os irmãos Castros em Cuba se apoiavam mutuamente e ninguém falava nada. Ainda de acordo com Eduardo Bolsonaro, não é necessário desenvolver cada ponto que o faz apoiar Donald Trump, a quem ele chamou de Ronald Reagan de sua geração. O deputado ainda aconselhou brasileiros que moram nos Estados Unidos e que garantiram a vitória ao presidente Bolsonaro que votem em Trump no fim do ano.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin