Dodge vê indícios de ‘autoria intelectual’ de conselheiro do TCE na morte de Marielle

Raquel Dodge afirmou ao STJ que há “indícios de autoria intelectual” do assassinato de Marielle Franco e de Anderson Gomes por parte de Domingos Brazão, informa O Globo.

Brazão é conselheiro afastado do TCE do Rio e chegou a ser preso na Operação Quinto do Ouro, em março de 2017 –foi libertado dias depois, mas segue fora do cargo.

A PGR afirmou ainda que o conselheiroe pode ter usado a estrutura de seu cargo público para obstruir as investigações do caso. Procurado, Brazão classificou a acusação de “absurda”.

Como ele tem foro privilegiado –apesar do afastamento–, os indícios de sua participação podem resultar no envio das investigações do homicídio para o STJ.

Com isso, o inquérito, atualmente na Justiça Estadual, passaria a ser de competência da PF e da PGR.

VINGANÇA EM FAMÍLIA E NOVAS REVELAÇÕES PARA A LAVA JATO. Leia aqui
você pode gostar também