Devagar, Palmeiras quebra espinha do Peixe…

Devagar, Palmeiras quebra espinha do Peixe…

O Palmeiras venceu o Santos por 2 a 0, neste domingo à tarde, no estádio da WTorre, diante de 37 mil pagantes. Clássico bastante disputado, às vezes chegou a ser violento. Porém o Verdão atingiu

Leia tudo

O Palmeiras venceu o Santos por 2 a 0, neste domingo à tarde, no estádio da WTorre, diante de 37 mil pagantes. Clássico bastante disputado, às vezes chegou a ser violento. Porém o Verdão atingiu marca invejável: cinco jogos, cinco vitórias. Até o badalado Gustavo Scarpa substituiu Lucas Lima e já mostrou bom futebol, apesar de atuar pouco tempo. O árbitro Flávio Rodrigues de Souza complicou-se. Interferiu em lances importante, irritou a torcida, jogadores e técnicos. Ficou devendo no apito.
Foi como um tiro de sniper (franco atirador de elite do Exército norte-americano). Logo aos 2 minutos do primeiro tempo, escanteio pela direita. Dudu cobrou escanteio e o zagueiro Antônio Carlos subiu livre para cabecear firme, 1 a 0. O goleiro Vanderlei deu uma de “mão de alface” (tocou na bol e dobrou o pulso). Em seguida, Lucas Lima mandou uma pancada no travessão. Caprichosa, a bola ainda tocou no poste direito e não entrou. Depois desse “massacre”, Verdão tirou o pé total.

O técnico Roger Machado, seguindo à risca a tal da Escola Gaúcha, recuou demais. Aí, o Jair Ventura, treinador seguidor da antiga Escola Carioca, soltou o Santos. Ai quem trabalhou? Jailson. Pegou uma bola cruzada e desviada com perigo pela zaga, em erro do Victor Luís no meio-campo. Partida ficou “pegada”. Um show de cartões amarelos e espetáculo caiu sensivelmente em termos técnicos.

Alviverde voltou melhor para etapa final. Felipe Mello, por exemplo, obrigou Vanderlei a fazer boa defesa. E o polêmico Borja furou, sozinho, dentro da pequena área. Victor Luís aproveitou de cabeça cruzamento de Lucas Lima e de novo Vanderlei salvou. Depois de 4 minutos de pressão, Willian Bigode tentou driblar, perdeu a bola que, manhosa, sobrou para Borja mandar para as redes adversárias, 2 a 0.

Atordoado, o Peixe procurou equilibrar e estava levando um baile. Ainda, então, um erro bizarro da arbitragem. Marcos Rocha mandou para escanteio. Juiz deu sequência ao lance erradamente. Bola cruzada por Daniel Guedes, Renato subiu de cabeça e 2 a 1. Outro lance polêmico. Bola sobrou para Tchê Tchê. David Braz pulou com os dois pés e derrubou o adversário. Pênalti claro ignorado pelo apito.

A torcida inteira começou a gritar o nome de Keno. Roger Machado ouviu e substituiu Dudu, aliás, em tarde infeliz. Marcos Rocha deu a Keno, esse a Tchê Tchê que mandou para fora. Entrou bem em campo o “Talismã” palestrino. Finalmente, Gustavo Scarpa estreou. Lucas Lima deu adeus. Santos, porém, tem um elenco fraco. Rodrigão (trocado por Sasha, contundido) sente falta de um padrão de jogo e da adaptação de alguns recém-contratados.

E tenho dito!
 - Fonte: Blog do Chico Lang