Deputados discutem presença de cruz e Bíblia em Assembleia

A Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) promoveu uma audiência pública para discutir a permanência de símbolos religiosos na Casa.

A audiência aconteceu na semana passada e teve a liberdade religiosa e o Estado laico como tema, dividindo a opinião entre os presentes. Muitas pessoas estão reclamando da réplica da Cruz Reverente que fica dentro da Ales e da Bíblia que é posta em uma das mesas.

O pedido de audiência pública foi feito pelo deputado Claudio Vereza (PT) que presidiu a sessão. Durante o encontro os deputados e líderes religiosos debateram sobre retirar ou não os símbolos cristãos da Ales pensando no respeito às diferentes crenças que existem no Brasil.

Para o deputado Theodorico Ferraço (DEM) não há motivos para retirar os símbolos religiosos da Assembleia Legislativa. “Não tem por que retirar os símbolos. A cruz não vai ser removida, porque a maioria acredita em Deus. Assim, ela tem que continuar na Casa”, disse ele que é católico.

Deputados evangélicos e católicos concordam com a permanência do símbolo, entre eles o deputado Glauber Coelho (PSB), que é evangélico, e Hércules Silveira (PMDB), que se declara católico. Juntos eles acreditam que a cruz e a Bíblia não atrapalham os trabalhos da Casa e ainda sugerem a inclusão de símbolos que representem outras religiões.

Os pedidos e as reclamações ouvidas na audiência pública foram encaminhadas pelo deputado do PT para a Comissão de Cidadania e Direitos Humanos e devem ser analisados antes de entrar em votação. Com informações G1.