Deputado da “oração da propina” depõe e nega recebimento do mensalão

Durante seu depoimento na 2ª Vara de Fazenda Pública de Brasília, o ex-deputado distrital Junior Brunelli (ex-PSC) negou que tenha recebido propina durante o caso que ficou conhecido como “Mensalão do DEM”.

Brunelli ficou conhecido por fazer uma oração ao receber R$ 4 mil das mãos de Durval Barbosa o delator do caso de propinas que chegou a dizer ao juiz que pagava até R$20 mil de propina por mês.

Mas o ex-deputado que é evangélico disse na quarta-feira (21) que recebeu dinheiro apenas uma vez e que ficou agradecido porque estava em plena campanha eleitoral e precisava do dinheiro. “Eu agradeci. Foi surpresa. Estava em tempo de campanha, precisava do dinheiro”, disse ele que foi filmado fazendo uma oração de agradecimento por aquele “presente”.

Mas em sua prestação de contas esses R$4 mil não apareceram. “Só após a ocorrência dos fatos percebi que os valores não estavam na prestação de contas, mas não indaguei ao tesoureiro o motivo”, disse Brunelli durante o depoimento.

O ex-deputado também afirmou que a oração foi feita a pedido de Durval Barbosa e que ele não voltou a receber outros valores depois daquele dia. De acordo com Brunelli o governo de Arruda estava fazendo retaliações contra sua pessoa, tudo isso porque ele havia trocado o DEM pelo PSDC.

O depoimento de Brunelli não condiz com o que Durval Barbosa revelou ao juiz, o delator informou que repassava entre R$ 10 e 20 mil todos os meses e que o ex-deputado sabia que estava recebendo valores ilícitos. E não foi só isso, Durval garantiu que dava dinheiro para eventos religiosos. “Também contribuía para eventos religiosos na igreja dele. Não sei dizer quanto eu paguei a ele, mas sei que foi uma quantia vultosa.”

Com informações G1