De olho no clássico entre Palmeiras e Santos

De olho no clássico entre Palmeiras e Santos

O ano mal começou, Palmeiras e Santos ainda rabiscam a história da temporada recém-nascida, mas já pintou um clássico cheio de elementos para torná-lo um dos jogos mais interessantes deste começo de

Leia tudo

O ano mal começou, Palmeiras e Santos ainda rabiscam a história da temporada recém-nascida, mas já pintou um clássico cheio de elementos para torná-lo um dos jogos mais interessantes deste começo de 2018. Fique de olho em dez elementos a serem observados na partida das 17h deste domingo, na arena palmeirense.

LUCAS LIMA

Pela primeira vez, Lucas Lima enfrentará o Santos, o clube que deixou no fim do ano passado para fechar com o Palmeiras. Nos tempos de Vila Belmiro, o meia foi personagem dos clássicos, muitas vezes com provocações aos alviverdes. Sua saída deixou a torcida santista entre insatisfeita e indignada – e o desempenho nos últimos meses de Peixe foi insatisfatório. No Palmeiras, o começo é bom: interessado, muito ativo em campo e protagonista do forte setor de produção ofensiva da equipe de Roger Machado.

EDUARDO SASHA

O atacante, que chegou ao Santos emprestado pelo Internacional, fará seu primeiro jogo como titular do Peixe, substituindo Rodrigão. Ele já deixou sua marca na vitória sobre a Ponte Preta em Campinas e agora tem a missão de dar mais velocidade ao ataque do Peixe, que não terá Gabigol nem no banco de reservas.

OS 100% DO PALMEIRAS

O Palmeiras tem o melhor elenco do Brasil, lida novamente com alta expectativa da torcida e começa bem o ano: 100% de aproveitamento, o único clube da Série A com esse rendimento. Mas foram apenas quatro jogos – e todos contra times do interior, naturalmente mais fracos. O jogo contra o Santos servirá para tirar a febre da real capacidade da equipe alviverde após cerca de um mês de temporada. E poderá ajudar a solidificar o trabalho de Roger Machado – que luta contra a desconfiança herdada das decepções do ano passado.

RODRYGO

O menino está voando. No último jogo, contra o Ituano, entrou no meio do segundo tempo, fez o gol de empate e levou três adversários a serem amarelados – não conseguiam pará-lo na bola. Na partida anterior, contra a Ponte Preta, o atacante de 17 anos já havia marcado. A torcida começa a pressionar para vê-lo no time titular, e Jair Ventura pede paciência, embora admita que é um jogador de enorme talento. Rodrygo deve ficar no banco para entrar no decorrer do jogo em seu primeiro clássico como profissional.

GUSTAVO SCARPA

Em uma das principais negociações deste começo de ano, o Palmeiras contratou Gustavo Scarpa, o jogador que muitos clubes queriam – e que o São Paulo sonhava ter. Roger Machado pretende ter o atleta à disposição para o clássico. É provável que inicie no banco. E aí poderá começar a ser respondida uma questão: onde entra Scarpa no time do Palmeiras? São duas opções mais prováveis: como concorrente de Lucas Lima na função mais centralizada do meio ou como alternativa pelo lado direito – onde tem jogado Willian.

RIVALIDADE

Acirrou-se nos últimos anos a rivalidade entre Palmeiras e Santos. As rusgas se acentuaram na final do Paulistão de 2015, quando Dudu perdeu um pênalti, Ricardo Oliveira comemorou na frente dele, e jogadores do Palmeiras viram provocação no gesto. O Santos ficou com o título, como aconteceria no ano seguinte, quando eliminou o Palmeiras nas semifinais. Na Copa do Brasil de 2015, porém, o Alviverde levou a melhor. Em meio a tantas decisões, houve desentendimentos entre atletas (especialmente Ricardo Oliveira, hoje no Atlético-MG, e Fernando Prass) e provocações nas redes sociais dos clubes - como esta abaixo, ironizando uma careta de Ricardo Oliveira como provocação a Prass.TREINADORES

Fábio Carille e Jair Ventura são dois representantes centrais da renovação no quadro de treinadores do futebol brasileiro. Eram os mais jovens do Brasileirão no começo da competição no ano passado. Carille foi campeão paulista e brasileiro com o Corinthians; Jair levou o Botafogo às quartas de final da Libertadores, sendo eliminado pelo Grêmio, que seria campeão do torneio. Agora, os técnicos têm novos desafios: Carille com a difícil missão de manter o Timão em alto nível, e Jair precisando montar um time competitivo no segundo clube de sua carreira.

FELIPE MELO

Felipe Melo como titular foi uma das principais apostas de Roger Machado no começo de ano no Palmeiras. E o volante, afastado e quase negociado no ano passado, vem correspondendo. Com atuações sólidas e lançamentos para gols, está entre os melhores desempenhos individuais do time. E agora tem pela frente um clássico – tipo de jogo que costuma testar seu temperamento. No ano passado, após jogo pelo Paulistão na Vila Belmiro, provocou os santistas: “Nunca vi caldeirão com cinco mil, oito mil (pessoas)”, disse.

A MONTAGEM DO SANTOS

O Santos perdeu três de seus principais jogadores na passagem de 2017 para 2018: Zeca, Lucas Lima e Ricardo Oliveira. O elenco foi remodelado, e Jair Ventura tem uma série de dilemas na equipe, especialmente diante de um clássico. O jogo será fundamental para entender quais as apostas do treinador. A principal delas tem sido Vecchio. O argentino, até agora, tem sido titular absoluto com Jair.

GOLEIROS

A cinco meses da Copa do Mundo, Vanderlei ainda alimenta esperanças de ir à Rússia. Depois de um ótimo 2017, o goleiro é uma referência de segurança na equipe e vive seu primeiro clássico na nova temporada. Do outro lado, está Jailson, o goleiro que quase não perde: são 39 jogos pelo Palmeiras, com 26 vitórias, 12 empates e apenas uma derrota – 2 a 1 para o Grêmio na Copa do Brasil de 2016. Já são 25 jogos de invencibilidade. Começou o ano em alta ao superar a concorrência de dois goleiros de peso: Fernando Prass e Weverton.

- Fonte: ESPN