Clássico é experimento para técnicos novatos no futebol paulista

Clássico é experimento para técnicos novatos no futebol paulista

O clássico entre Palmeiras e Santos, neste domingo, às 17h, no Allianz Parque, servirá como uma espécie de batizado para os dois treinadores. O gaúcho palmeirense Roger Machado e o carioca santista

Leia tudo

O clássico entre Palmeiras e Santos, neste domingo, às 17h, no Allianz Parque, servirá como uma espécie de batizado para os dois treinadores. O gaúcho palmeirense Roger Machado e o carioca santista Jair Ventura vão ter o primeiro contato com a rivalidade do Campeonato Paulista, no fim de semana que marca o primeiro mês de trabalho de ambos no futebol do Estado.
No começo de janeiro os dois se apresentaram aos novos clubes para a pré-temporada movidos pelo desafio em repetir em São Paulo os bons trabalhos realizados em outros Estados. Após quatro jogos contra times do interior nas rodadas anteriores, o primeiro clássico do ano para ambos será uma importante avaliação sobre o andamento da preparação dos times.

Para o Palmeiras, o clássico é a chance de comprovar que o 100% de aproveitamento não foi fruto da possível fragilidade dos times do interior. Já o Santos, tem a oportunidade de evoluir caso derrote o time de melhor campanha até o momento.

Roger Machado demonstrou ansiedade para o primeiro clássico paulista da carreira. O técnico com experiência no futebol gaúcho e mineiro, onde trabalhou no Grêmio e Atlético-MG, afirmou que disputar o principal Estadual do País é diferente. "Nos outros lugares onde trabalhei, os campeonatos ficam centralizados em só duas forças. Por aqui, não. São pelo menos quatro grandes e vários clássicos para disputar. Isso é um elemento importante", disse o treinador do Palmeiras.

Mesmo com currículo no futebol do Rio, onde dirigiu o Botafogo, o atual técnico do Santos revelou viver antes do primeiro clássico paulista da carreira uma expectativa diferente da passada nas partidas anteriores. Jair explicou ter notado nos últimos dias um ambiente carregado pela tensão surgida entre os dois clubes nos últimos anos, quando foram adversários em momentos decisivos.

"A rivalidade está aflorada. Não vivenciei, mas a gente sente na atmosfera, por conta desses jogos competitivos e equilibrados nos últimos anos. Que possa ser um clássico da paz e sem violência", disse.

O grande personagem do clássico será o meia Lucas Lima. Nos últimos anos o jogador alimentou a rivalidade entre os clubes quando estava no Santos, principalmente por provocações em redes sociais. Agora, no Palmeiras, terá como primeiro encontro com um rival justamente o ex-time.

O técnico santista disse ver com naturalidade a situação e pediu apenas para a provocação não ser exagerada. O treinador do Palmeiras admitiu que por se tratar do encontro com o antigo clube, Lucas Lima deve sentir bastante ansiedade.

ESCALAÇÕES

Palmeiras e Santos não confirmaram as escalações, mas durante a semana deram pistas dos possíveis titulares. Roger Machado troca só um jogador em relação à última partida, com o retorno do lateral-esquerdo Victor Luís. Jair deve escalar o Santos com Eduardo Sasha no ataque no lugar de Rodrigão, que foi escalado como titular nos últimos compromissos.

 - Fonte: Estadão