Bolsonaro interrompe reunião para avisar que empresário aparecia pelado

(foto: Marcos Corrêa/PR)
(foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro precisou interromper uma reunão por videoconferência com empresários, nesta quinta-feira (14/5), para avisar que um dos participantes aparecia pelado no vídeo. O encontro foi organizado pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e nâo ficou claro quem era o “peladão”, como descreveu o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Em determinado ponto do encontro, Bolsonaro disse: “Ô Paulo [Skaf], tem um colega aí no último quadrinho que tá… Saiu fora, tá ok”. O ministro Paulo Guedes, que acompanhava a live ao lado do presidente, emendou: “Tem um cara tomando banho aí, peladão. Tem um peladão aí, fazendo isolamento peladão em casa e tal, beleza”.

Skaf, no papel de mediador do encontro, pediu desculpas. “Me perdoem aí, viu?”. Guedes continuou: “O cara foi ficando com calor com a conversa, aí foi tomar um banho frio”. Houve muitos risos. Bolsonaro, por fim, gargalhou, entquanto dizia: “Infelizmente, nós vimos. Era um quadro sinuoso, mas nós vimos, infelizmente”.

Reabertura do comércio

Na reunião, Bolsonaro discutia a retomada das atividades econômicas e defendia a reabertura do comércio. Ele pediu que os empresários de São apulo se opusessem à política do governador João Doria, que tem adotado medidas para fortalecer o isolamento social e vem trocando farpas com o presidente desde o início da pandemia de coronavírus.

Ele disse ainda que os governadores “estão partindo para a desobediência civil” ao não seguir o decreto que adicionou, na lista de serviços essenciais, salões de beleza, academias e barbearias. No entanto, o próprio Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os líderes estaduais possuem autonomia para decidir o que abre e o que permanece fechado.