Bolsonaro anuncia saída de Regina Duarte da Secretaria de Cultura

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O presidente Jair Bolsonaro postou um vídeo no Twitter, na manhã desta quarta-feira (20/5), ao lado da secretária de Cultura, Regina Duarte, anunciando que a atriz deixará o comando da pasta após 78 dias no posto.

Segundo a postagem, Regina relatou que sente falta da família. “Mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP”, diz o texto.

“Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, prossegue na legenda. No vídeo, a “Namoradinha do Brasil” começa ironizando as notícias de que ela vem sendo fritada por Bolsonaro. “Está me fritando, presidente?”, questiona aos risos.

“Regina, tem duas semanas que uns dois ministros, segundo a mídia, estão sendo fritados. O objetivo é sempre destabilizar a gente e tentar jogar o governo no chão. Não vão conseguir. Jamais vou fritar você”, afirma, em resposta, o chefe do Executivo Federal.

Bolsonaro e a secretária tentam sinalizar uma saída tranquila e almejada por ela. “Eu acho que você quer ajudar o Brasil, e o que eu mais quero é o seu bem, pelo seu passado e tudo aquilo que você representa a todos nós. (…) E para a Cinemateca, do lado do seu apartamento, ali em São Paulo, você vai ser feliz e produzir muito mais, eu fico muito feliz com isso. Chateado, porque você se afastar um pouco do convívio nosso em Brasília”, lamenta o presidente.

 

Mário Frias é o mais cotado para assumir

Há algum tempo já se falava que o presidente não estava satisfeito com a atriz como chefe da pasta e queria exonerá-la. Ela não era aceita pela ala ideológica do governo, que não a queria por enxergá-la como alguém muito ligado à esquerda.

E, apesar da fala do presidente, Regina vinha, sim, sendo fritada. O nome do substituto na Cultura ainda não foi confirmado. Mas a expectativa é que o ator Mário Frias, apoiador de Bolsonaro, fique com o cargo.

Nessa terça-feira, inclusive, Bolsonaro almoçou com o ator, que em entrevista recente se ofereceu par assumir a Secretaria de Cultura. A declaração foi até postada nas redes sociais do chefe do Planalto antes do encontro.

Processo de fritura

Antes disso, a chamada “fritura” da atriz já vinha sendo feita pelo governo. No último dia 5, nomearam sem consultar Regina o maestro Dante Mantovani para a Fundação Nacional de Artes (Funarte) – cargo que ele havia sido retirado pela própria atriz. No mesmo dia, o governo voltou atrás.

Na ocasião, um áudio de uma conversa entre Regina e uma assessora, obtido pela revista Crusoémostrou que a própria atriz acreditava que o presidente estaria dispensando-a. “Que loucura isso, que loucura. Eu acho que ele está me dispensando”, disse. Um dia depois, Regina se reuniu com Bolsonaro no Palácio e ganhou mais alguns dias na pasta.

Ainda que o encontro tenha sido para colocar panos quentes na situação, o presidente convidou de última hora o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, quem Regina havia tentado demitir assim que assumiu a pasta. Camargo critica a atriz constantemente nas redes sociais.

Em 28 de abril, Bolsonaro “lamentou” que Regina não estivesse em Brasília e disse que na Secretaria tinha “muita gente de esquerda pregando ideologia de gênero” e que ela tinha “dificuldade nesse sentido”. Quatro dias depois ela retornou de São Paulo.

Cinemateca

Ligada à Secretaria Especial da Cultura, a Cinemateca Brasileira é responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira. Regina disse que o convite para a instituição “é um sonho de qualquer pessoa de comunicação, de audiovisual, cinema, teatro”.

“É um presente duplo: é a Cinemateca e estar próxima da minha família, que é uma coisa que eu estou desejando muito”, disse Regina.