Autor de PEC da 2ª instância vê caminho livre para mudar decisão do STF

O deputado federal Alex Manente (Cidadania-SP), autor de uma das PECs que permite a prisão de condenados após decisão em segunda instância, afirmou que o entendimento de Toffoli de que o Congresso tem autonomia para alterar o marco para o início da execução da pena encerra quaisquer dúvidas sobre o assunto.

“Com o entendimento do presidente da Suprema Corte de que os parlamentares podem alterar o marco para o início da execução da pena encerram-se quaisquer dúvidas sobre a legitimidade do Legislativo Federal para mudar a decisão do STF e, o que é mais importante: não vamos ferir direitos e garantias individuais”, explicou o parlamentar.

Alex Manente lamentou a decisão de ontem.

“A população brasileira está perplexa com a mudança de entendimento do STF. Agora, imaginem a comunidade internacional, principalmente aqueles países que têm a prisão condenatória em primeira instância como regra como Argentina, Alemanha, Estados Unidos e outros”.

A PEC de Manente está pronta para ser votada na CCJ. O parecer favorável da relatora, deputada Caroline de Toni (PSL-SC), foi concluído em 16 de outubro.

As consequências para o Brasil da decisão do STF de sepultar a prisão de condenados como Lula. LEIA AQUI