AGU diz não ver motivação para processo de impeachment contra Bolsonaro

Para o ministro-chefe da Advocacia-Geral da União (AGU), André Luiz Mendonça, o fato de o presidente Jair Bolsonaro defender o direito do povo se manifestar contra o Congresso Nacional não pode ser motivação para abertura de processo de impeachment.

Em entrevista ao Correio Braziliense, ele defendeu que o chefe do Executivo não cometeu crime de responsabilidade ao compartilhar vídeos de apoio a manifestações contra o Congresso e o Supremo, afirmando que uma denúncia contra o presidente da República seria “um desrespeito à democracia”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O advogado-geral da União conheceu Bolsonaro no dia em que recebeu o convite para comandar a área jurídica do Governo. Mendonça é pastor evangélico e tornou-se um dos ministros mais importantes do governo Bolsonaro.

Mendonça lembra que o presidente não compartilhou vídeo nas redes sociais convocando manifestações, mas encaminhou para algumas pessoas uma mensagem sobre o tema e que se quisesse reverberar teria usado sua força na mídia social.

“O presidente não reverberou um vídeo. O que se tem notícia é que, para uma pessoa privada A ou B, ele simplesmente redirecionou uma determinada mensagem. Se o presidente tivesse a intenção de reverberar, ele tem toda a mídia social, ele dá entrevista cotidianamente, ele faria isso pelos meios tradicionais”, disse.

O ministro afirma ainda que não houve uma manifestação de apoio ou de desaprovação das manifestações convocadas contra o Congresso, mas que por diversas vezes o presidente dirigiu palavras respeitosas aos congressistas.