10 coisas que estavam vivendo dentro de seres humanos

Todo mundo já ouviu lendas urbanas sobre pessoas que foram nadar em rios ou lagos e descobriram semanas mais tarde que tinham engolido um ovo e agora tinham uma cobra totalmente crescida ou algo do tipo vivendo dentro do seu corpo.

Claro, essas histórias são ridículas. A maioria dos animais seria completamente incapaz de viver dentro de um corpo humano. Mas, por mais improvável que pareça, existem exceções a esta regra, algumas um pouco mais chocantes do que você pode imaginar.

10 – Vagem no pulmão

No verão de 2010, Ron Svedan, um homem de 75 anos, estava com enfisema durante vários meses, tossindo muito e sentia muito menos energia do que o habitual. Embora muitas pessoas possam simplesmente assumir que este tipo de coisa é inevitável para um homem de 75 anos de idade, Svedan estava preocupado que tivesse um tumor em seu pulmão. Em um dia particularmente ruim, ele foi levado ao hospital e radiografado depois que sua esposa chamou os serviços de emergência. Os raios-X revelaram um crescimento em seu pulmão esquerdo, que também havia entrado em colapso. Levou uma agonia de 10 dias para os resultados de Ron voltarem do laboratório, mas, quando isso aconteceu, eles mostraram que o homem não tinha câncer. Longe de um tumor, o crescimento dentro dele era na verdade uma vagem de ervilha pequena. Os médicos especulam que a ervilha tenha sido acidentalmente inalada e o pulmão provou ser uma atmosfera ideal – quente e úmida – para que ela viesse a brotar. A planta foi removida cirurgicamente, e Ron ficou bem. Ele não sentiu remorsos em relação às ervilhas por esta experiência – comeu algumas delas em sua primeira refeição após a cirurgia.

9 – Peixe no pulmão

Anil Barela é um menino de Madhya Pradesh, na Índia. Um dia no ano passado, quando ele tinha 12 anos, começou a ter dificuldade para respirar depois de ter brincado em um rio com alguns amigos. Assim, ele procurou atendimento médico, e uma cirurgia relativamente curta e simples resolveu seu problema de respiração. A fonte de seus problemas acabou por ser um peixe de 9 cm que estava vivendo em seu pulmão. Aparentemente, a “brincadeira” no rio era engolir peixes vivos, um passatempo popular entre as crianças locais. Anil tinha decidido colocar o peixe na boca e inalá-lo, em vez de simplesmente engolir a coisa como uma criança normal. A sucção puxou o peixe diretamente para seu pulmão. Ele ficou bem após a cirurgia, e o peixe ainda estava vivo quando os cirurgiões o encontraram no corpo do menino, embora tenha morrido pouco depois.

8 – Larvas

Aaron Dallas era apenas um turista comum em uma viagem a Belize, no verão de 2007. As férias correram bem, em geral, aparentemente passando sem incidentes. “Aparentemente” porque, ao voltar para os EUA, Aaron notou várias protuberâncias em seu couro cabeludo. Os médicos inicialmente culparam picadas de insetos ou a herpes zóster – uma reativação do vírus da varicela -, até que eles notaram que as protuberâncias estavam em movimento. A causa? Cinco larvas estavam vivendo em seu couro cabeludo. Se ele tocava as protuberâncias, podia literalmente senti-las em movimento, mas, até os médicos identificarem os parasitas, pensavam que era apenas sangue correndo ao redor da cabeça do infeliz paciente. Mais terrível ainda, Dallas podia até mesmo ouvir as larvas dentro de sua cabeça. No fim, elas foram removidas, e agora todos nós podemos descansar tranquilamente sabendo que isso provavelmente nunca acontecerá novamente. Exceto para Rochelle Harris, de 27 anos que, ao voltar para a Inglaterra vinda do Peru, começou a sofrer de dores de cabeça, dor no rosto e descargas sonoras causadas por um número de vermes em seu ouvido. Rochelle teve que passar horas ouvindo as larvas se deslocando ao redor de sua cabeça, enquanto os médicos tentavam em vão afogá-las com azeite de oliva. No final, oito larvas vivas foram removidas cirurgicamente da pobre mulher.

7 – Enguia no intestino

Em 2010, um chef de 59 anos de idade não identificado foi a um hospital em Sichuan, na China, depois de sentir dores no abdômen, sangramento anal grave e outros problemas desagradáveis. Seus médicos, intrigados, optaram por realizar uma cirurgia explo